domingo, 9 de agosto de 2009

O amor é cego :}

- Drake, amor, é você? - perguntei, sentindo o cheiro de seu perfume se espalhando vagarosamente no ar.
- Sim - ele respondeu, sua voz trovejando pelos quatro cantos daquele pequeno quarto.
Fui andando até aonde imaginei que ele estava a julgar pelo cheiro, mas na metade do caminho algo jogado no chão me fez tropeçar.
Mas - felizmente - algo quente e forte me segurou antes que eu sentisse o chão se esmagar contra o meu rosto.
- Epa - murmurei, o sangue subindo para o meu rosto, sentindo-o ficar quente de imediato. Posso jurar que minhas feições poderiam ficar ficar realmente vermelhas, as maçãs do rosto como se alguém as marcasse com um Marca-Texto vermelho ou esfriasse um George Foremann Grill ali.
- Já disse que você precisa ter... - Drake começou a dizer, usando o seu tipo de voz paterna-e-responsável. Que eu, por acaso, se você me perguntar, verdadeiramente odeio. Nada meio que normal para um namorado - acho que namorado não é palavra certa, mas enfim.
- ...mais cuidado. Eu sei - soltei para ele.
Ele afagou meu rosto ainda em chamas pelo enrubescimento.
- Maggie, querida...
- Ah, não Drake. Por Deus, de novo n-ã-o - pedi, a voz soando suplicante e tentando achar sua boca, apalpando seu rosto.
- Ok - ele concordou.
Abri um sorriso largo.
- Como estou? - perguntei, imaginando a resposta dele.
- Linda, como sempre - ele respondeu, gentil, mas verdadeiro - você é linda.
- Obrigado - quase cantarolei para ele, jogando meus braços em torno de seu pescoço.
- Absolutamente perfeita - ele continuou.
- Certeza?
- Aham - senti as lufadas de ar quando ele deveria estar assentindo.

- Então... Vamos?! - perguntei, endireitando-me.
- Sim - e segurou minha mão e então saímos dali.

- Aonde estamos, amor? - perguntei, anciosa.
- Calma, donzela - ele disse, zombeteiro - estamos quase chegando.
- Drake! - protestei. Isso era tão injusto! Eu sempre ser a última a saber de tudo.
Depois de alguns minutos, dei uma fungada e senti cheiro de um ar diferente, cheiro de marezia, com sal, sei lá. Sentia também alguns grãozinhos sendo levados - e obrigados - a virem de encontro a minha perna.
Acho que Drake percebeu quando comecei a sorrir para o, hm, nada exatamente.
- Chegamos - ele parou de repente.
Ele sabia que meu sonho era conhecer a praia, o mar? Caramba, ele sabia mais de mim do que eu poderia imaginar.
- Aaaaah, Drake - algumas lágrimas foram expulsas de meus olhos cegos.
Ele me puxou para si, e beijou meu cabelo.
- Gostou? - disse ainda acariciando as madeixas de meu cabelo.
- Você... s-sabia que era m-meu sonho, não é? - eu consegui dizer entre os soluços.
- É... venha - chamou e me puxou para algum lugar.
Caminhei o que poderia ser alguns metros e Drake largou minha mão.
- Drake? Cadê você?! - perguntei, de repente desesperada.
- Calma, eu estou aqui - e senti ele tirar minhas sandálias.
- Para que isso? - falei meio que enxugando as quase-lágrimas.
- Você verá - e mais uma vez, tomou minha mão e me levou para o desconhecido.
Senti algo molhado se derramando em meus pés, e, logo soltei:
- Drake! Vamos voltar, agora. Não posso.
- Maggie, confie em mim. Por favor - ele pediu.
- Não, não. Eu quero voltar.
- Por favor, Maggie - pediu ele de novo, e, estava difícil de resistir.
- Drake, eu não consigo, ok?
- Você tem a mim. Não vai lhe acontecer nada.
Apertei a sua mão mais forte e a água começou a acariciar meus tornozelos.
Quando a água estava um pouco acima do meu joelho, ele parou.
- Amor? - ele perguntou, com a voz sedosa, segurando minha outra mão.
- Oi? - eu disse, já emocionada com o que quer que ele fosse dizer.
- Eu não amaria você tanto assim se não estivesse fazendo tupo isso. E eu faria qualquer coisa por você, minha linda. Você faz parte de mim, e é por nós que eu vivo. Então, estamos aqui, em meio de um sonho, e eu Drake Moollron, queria te pedir algo.
Estava totalmente atônita. Resolvi ficar calada, já que não conseguia formular nada coerente.
- Quer casar comigo?
- É claaaaaaaro que eu quero!
Ei, não me olhe assim, eu ainda continuo tendo dezessete anos. E não é por isso que eu não vou casar.
- Eu te amo, eu te amo, eu te amo.
- Também, meu bebê - falei - ah, eu não acredito! Não, isso não pode ser verdade - repeti para mim mesma.
Ele colocou um anel no meu dedo, e, me puxou para um beijo.
"O que os olhos não veem o coração não sente" será mesmo verdade?
Meus olhos podem até não enxergar. Mas eu continuo sentindo. Amando. E é isso que importa, nada vai mudar esse sentimento tção verdadeiro, tão profundo que é o amor. É o que eu estou sentindo.
Casamento... por que não, afinal?


Pauta para o Once Upon A Time
-
PS.: Feliz Dia dos Paaaaais :*

7 opiniões:

Mαrih ♪ disse...

Lindo, Mari *-*
Adoro tuas histórias, sempre tão sonhadoras. Parecem cenas de um filme. Aprecio muito seu modo de escrever e o fato de que, por mais que você escreva muitas histórias, elas sempre são diferenciadas e retratam personagens, cenários e rações diferentes. Pode não parecer, mas reconheço que nesse ponto a criatividade tem que sempre estar presente.
Parabéns pelo blog, e obrigada pelos teus comentários lá no meu espaço. Adoro quando você critica meus textos e me elogia.
Obrigada e parabéns MESMO pelo seu dom de escrever.
Beijos de uma amiga virtual, eu espero :*

Viick' disse...

muuito perfeeito!
*-------------------*
choreiomg's.

Kaah Mathielo =] disse...

mariii
as suas histórias tem o poder de fazer a gente ficar grudada no PC... Eu não pisco quando estou lendo elas...
vc eh demaais...
passa no meu blog... atualizeei
beeijos
kaah
ps: acabeei de descobrir q os seu sonho era ser escritora - li os primeiros post's do bloog -

Erica Ferro disse...

Mari, meu Deus, que conto lindo.
Eu me emocionei lendo, e muito.
Você escreve tão bem. Meus parabéns, viu?!
Nunca pare de escrever. Nunca mesmo.

Sempre passarei aqui pra ver suas novas postagens, pois vale muito a pena e me faz um bem danado.

Grande abraço.

Juú disse...

Simplismente perfeito! Parabéns (:
" O amor é como o vento, não podemos vê-lo mas podemos sentir."
beijinhos
www.meusolhosderobo.blogspot.com

cary. disse...

MAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAARI, que linda essa história e COM CERTEZA mereceu o primeiro lugar no Once Upon a Time :D
ps. porque nunca aparece um menino tão meigo como o Drake na minha vida?
ps². a foooooooooto *-*

[http://colunadacary.zip.net]

Beatriz disse...

Meu, que-lindo-o-otexto! *-* Serião, me fez sonhar em ter um Drake, HDUAHDUAH.